Macanitas de Tercena

31 ANIVERSARIO ASSOCIACAO CULTURAL DE TERCENA

Pode ser uma imagem de ao ar livre

.

ASSOCIACAO CULTURAL DE TERCENA
31. Aniversario
.

Exmos. Associados e Amigos da ACT,

A Associacao Cultural de Tercena completa hoje, dia 12 de abril de 2021, 31 anos de existencia.

Esta data continua a ser marcada pela pandemia da Covid-19.

Na verdade, tambem em 2020, pelo 30. aniversario, nao foi possivel celebrar esta data, com a devida solenidade, por forca da atual crise pandemica da doenca Covid-19, que obrigou a que, desde 12 de marco de 2020, ha precisamente 13 meses, todas as nossas atividades e eventos fossem cancelados e ainda se encontrem suspensos por tempo indeterminado.

No entanto, nao pudemos deixar de assinalar esta data sem evocar o percurso historico da nossa coletividade, fundada pelo saudoso Fernando Silva, que ao longo destes anos, tem divulgado a cultura e as tradicoes, usos e costumes das gentes de Tercena, levando o nome da freguesia de Barcarena e do concelho de Oeiras a muitas outras terras, por todo o pais‚continente e ilhas, e ao estrangeiro, atraves das suas atividades, com destaque para o folclore saloio representado pelo nosso Rancho Folclorico - As Macanitas- de Tercena.

Do balanco que se pode fazer do ano de 2020, ate ao cancelamento de todas as atividades (12MAR20), apesar das dificuldades e dos constrangimentos motivados pela falta de instalacoes proprias e de condicoes adequadas para a realizacao das nossas atividades e eventos, a Associacao conseguiu levar por diante as iniciativas inscritas no respetivo Plano de Atividades. Em resumo: o rancho folclorico realizou 2 atuacoes de Canto das Janeiras em Tercena, na Escola Primaria, no Centro de Dia, Creche e Centro de Infancia do Centro Social Paroquial de Barcarena e pelas ruas e comercio da nossa localidade; o Grupo Cenico da ACT apresentou ao publico apenas uma sessao teatral, tendo as duas participacoes na Mostra de Teatro Amador de Oeiras sido canceladas pela autarquia; 1 atuacao do Grupo de Bombos da ACT; 1 atuacao do Grupo de Dancas da ACT; realizacao de dois bailes de carnaval e do baile da Pinhata; diversas atividades pelo carnaval; realizacao de um evento gastronomico (almoco convivio); realizacao on-line, atraves do Facebook, das tradicionais exposicoes de presepios e postais de Natal. Foram efetuados 9 ensaios do rancho folclorico, 7 ensaios de teatro, 4 ensaios do grupo de danca, 2 ensaios do grupo de bombos e 9 aulas de dancas de salao. No ambito administrativo efetuaram-se 10 reunioes de Direcao e 1 Assembleia Geral, alem da Sessao de Tomada de Posse dos Corpos Sociais. De salientar o cancelamento das 11 atuacoes do rancho folclorico -As Macanitas- agendadas, e de mais 2 convites.

Todas as atividades e eventos realizados tiveram a participacao de um elevado numero de socios, familiares e amigos, e como ja e habitual pautaram-se pela qualidade e pela satisfacao de quem participou e assistiu aos eventos. Aproveito por isso para agradecer a todos os elementos dos ranchos adulto e infantil/juvenil e do grupo cenico da Associacao, aos elementos do grupo de bombos e do grupo de dancas, aos alunos das dancas de salao, ao grupo de gastronomia, a todos os elementos dos corpos sociais e do conselho superior, e a todos os socios e amigos da coletividade a colaboracao que prestaram no decorrer das atividades realizadas. Essa colaboracao e imprescindivel, no futuro, para o sucesso e continuidade da Associacao Cultural de Tercena, quando retomar as suas atividades.

O Plano de Atividades para 2021, a semelhanca dos anos anteriores, e mais uma vez bastante ambicioso no panorama das atividades e eventos que a Direcao se propos realizar durante este ano, mas comporta em si uma indeterminada margem de incerteza, devido a situacao de pandemia, nao se podendo prever ao certo o que nos espera a curto, medio e longo prazo.

Esta situacao tem um forte impacto negativo e uma forte contrariedade na vida associativa, que vive da troca, do encontro, da vontade de fazer juntos, da partilha de objetivos e de acao em comum. Poderemos colocar as seguintes incertezas: Os habitos serao rapidamente restabelecidos e quais os que poderao vir altera-se? Ira ser retomada a atividade normal? Os elementos dos grupos (folclorico, cenico, dancas, bombos, etc.) e os associados continuaram a manter-se fieis e frequentar as atividades e a colectividade?

A falta de instalacoes proprias (sede), com espaco e condicoes adequadas para a realizacao das nossas atividades e eventos, sempre constituiu uma das nossas principais dificuldades e constrangimentos. Com as regras de ocupacao, permanencia e distanciamento fisico aplicaveis a este tipo de instalacoes, pelo Governo e DGS, por forca da pandemia, sera impossivel termos as condicoes adequadas para podermos retomar, com seguranca, todas as atividades da Coletividade.

Acreditamos que apesar do momento que atravessamos, a crise sera ultrapassada e em breve iremos recomecar as nossas atividades e continuar os designios da nossa coletividade na dinamizacao das acoes sociais, culturais, educacionais, recreativas e de convi­vio, dos nossos associados e da nossa comunidade, que constitui a finalidade da Associacao Cultural de Tercena, quaisquer que sejam as adversidades que possam surgir.

Para concluir, quero aqui deixar expresso que a Direcao e os restantes Corpos Sociais, tudo farao para manter um elevado espirito de coesao, solidariedade e responsabilidade, e a esperanca que a pandemia deixe de ser o centro das nossas atencoes e preocupacoes, e que possamos voltar a desenvolver um trabalho que contribua para a continuidade e o engrandecimento da Associacao Cultural de Tercena.

Parabens pelo 31. aniversario da Associacao Cultural de Tercena.

Viva a Associacao Cultural de Tercena e Viva Portugal.

Um Forte Abraco,

O Presidente da Direcao

Jose Monteiro

 

30 ANOS ASSOCIACAO CULTURAL DE TERCENA

CLIQUE ABAIXO E VEJA O VIDEO COMEMORATVO

.

30 ANIVERSARIO ASSOCIACAO CULTURAL DE TERCENA

 

FERNANDO SILVA 1938-2017

Pode ser uma imagem de 1 pessoa e a sorrir

A Associacao Cultural de Tercena cumpre o doloroso dever de comunicar a todos os nossos associados e amigos o falecimento do nosso Socio n. 1 e Fundador desta coletividade Senhor Fernando Antonio da Silva.
O corpo esteve presente na capela mortuaria da Igreja de S. Antonio de Tercena.
O funeral realizou-se para o cemitreio de Barcarena onde o corpo foi sepultado.
A direcao apresenta a todos os familiares, especialmente a sua esposa, nora e netos, os votos de um profundo pesar pela perda do seu ente querido, e agradece desde ja todo o apoio que possa ser dado a familia nesta hora de profunda tristeza.
A direcao

 

Próximas actuações de Folclore

DATA

ACTUACAO

CONCELHO

. ' '
 

Regulamento

 

“OS PRIMEIROS PASSOS DO RANCHO FOLCLÓRICO “AS MACANITAS” DE TERCENA”

“OS PRIMEIROS PASSOS DO RANCHO FOLCLÓRICO “AS MACANITAS” DE TERCENA”

image002

Tercena, 12 de Setembro de 2013

OS PRIMEIROS PASSOS DO

RANCHO FOLCLÓRICO “AS MACANITAS” DE TERCENA

Fernando Silva, se bem pensou em criar um rancho folclórico, melhor o fez, pois desde Abril a Agosto de 1989, em escassos quatro meses, para promoção do seu novo estabelecimento,  convidou todos os grupos de folclore sedeados no concelho para ali actuarem em festas e foi então que surgiu a ideia de se formar um grupo em Tercena, começando os ensaios precisamente a 12 de Setembro de 1989, já com  um grande número de aderentes que se prontificou colaborar com ele no novo projecto, chamando para dirigir o grupo, o Carlos Furtado que percebia de folclore  por pertencer ao grupo da sua terra no Ribatejo, já que trabalhava no Centro Paroquial de Barcarena como animador e com Fernando Silva resolveram dar início aos ensaios.

&&&

OS PRIMEIROS PASSOS DO RANCHO FOLCLÓRICO “AS MACANITAS” DE TERCENA

Estávamos em Abril de 1989, dia em que Fernando Silva  determinou encerrar o seu negócio de restauração no famoso restaurante Pico do Arieiro, em Tercena.

Nesse mesmo dia  veio para a sua propriedade designada Quinta do Filinto, também em Tercena por ter sido legada a seu pai e aí começou a desenhar um nova  actividade de restauração e tudo se iniciou nesse mesmo dia, uma vez que  da sua antiga casa vieram alguns utensílios e móveis que chegavam e bem para montar o novo estabelecimento e dar início a uma nova actividade.

Se bem o pensou, melhor o fez e até a Agosto desse mesmo ano, em escassos quatro meses, para promoção do novo estabelecimento,  convidou   todos os grupos de folclore sedeados no concelho para ali actuarem em festas e foi então que surgiu a ideia de  se criar um grupo em Tercena, começando os ensaios precisamente a 12 de Setembro de 1989, já com  um grande número de aderentes que se prontificaram colaborar com Fernando Silva no novo projecto, chamando para dirigir o grupo, o Carlos Furtado que percebia de folclore  por pertencer ao grupo da sua terra no Ribatejo, já que trabalhava no Centro Paroquial de Barcarena como animador e com Fernando Silva resolveram dar início aos ensaios.

Em Fevereiro de 1990  o  novo grupo estava  apto a estrear-se mas faltavam os trajes que acabaram por ser  executados por uma senhora de Porto Salvo  a toda a pressa, já que a data de estreia  estava anunciada para Maio desse ano.

A senhora tinha confeccionado os trajes das marchas de Porto Salvo e foi então que depois de convidada a  executar tal tarefa os mesmos apareceram prontos no curto espaço de três meses.

Para os pagar, uma vez que o grupo ainda não tinha dinheiro,  foi solicitado serem liquidados em três vezes, o que a senhora aceitou e assim aconteceu, pagar os 300 contos, valor do custo total, em três prestações.

A estreia do novo grupo foi marcada para 22 de Maio de 1990 e  João Marques Boletas foi convidado para seu padrinho já que  tinha sido um  grande pioneiro das antigas danças etno-folclóricas em Tercena que terminaram nos anos cinquenta por terem sido  consideradas obsoletas, face ao que a recém criada  televisão portuguesa apresentava.

 

Continuar...