QUASE MEIO MILHAR DE PESSOAS JÁ VIRAM TEATRO ESTE ANO NA ASSOCIAÇÃO CULTURAL DE TERCENA

QUASE MEIO MILHAR DE PESSOAS

JÁ VIRAM TEATRO ESTE ANO NA

ASSOCIAÇÃO CULTURAL DE TERCENA

Pessoa1 O Teatro na Associação Cultural de Tercena este ano tem trabalhado como nunca.

Foram criados dois grupos de trabalho e o efeito tem sido deveras positivo pois estamos em Julho e já foram apresentados nove espectáculos com três produções realizadas.

A equipa da encenadora e autora Susana Botica realizou um espectáculo pelo Carnaval e conseguiu duas sessões de casa cheia, assim como no seu trabalho relativo aos Santos Populares, com a sua peça, “Há Santos entre nós” que se apresentou com assinalável êxito.

 

Pessoa2 Por sua vez, o autor e encenador Fernando Silva, realizou a sua revista popular, “Oh Zé abre-me esse olho” e conseguiu fazer cinco sessões o que, na época em que encontramos foi considerado excelente, uma vez que as pessoas têm fugido das salas de espectáculos por diversas razões e reunir em nove sessões de teatro 480 pessoas foi considerado inédito, pelo menos nestes tempos mais actuais, porque noutras épocas estes números não eram comparáveis, pois em três sessões de uma revista dos anos sessenta, ultrapassava largamente estes números.

Pessoa3 É portanto de louvar a acção da colectividade que há vinte e três anos luta pelo desenvolvimento da cultura em Tercena e tem conseguido êxitos, nomeadamente no folclore, onde já realizou centenas de actuações no continente, ilhas Espanha, Brasil Áustria e recebendo convites para inúmeros países, só que as condições financeiras não são propícias, mas mesmo assim o trabalho desta colectividade é de realçar e pena é que os subsídios autárquicos tenham baixado consideravelmente, porque de contrário mais poderia fazer.

Estamos a meio do ano e espera-se que estes números sejam dilatados pois convites para o grupo não faltam, e no campo teatral as perspectivas são enormes uma vez que estes dois grupos de trabalho prometem fazer mais e melhor, mas também é verdade que esperam ser reconhecidos por quem tem a tutela destas actividades culturais no concelho de Oeiras:

&&&